TEDxUFABC

TEDxUFABC: a Importância de Colorir Elefantes Brancos

O evento, que ocorreu no dia 01/06, contou com 18 palestrantes e que mostraram que nenhum elefante merece ficar em branco!

Cheio de cores, assuntos e pluralidade, como o tema do evento bem prometia, o “TEDxUFABC: Colorindo Elefantes Brancos”, foi um evento marcante na história do campus de São Bernardo do Campo da Universidade Federal do ABC (UFABC).

Ocorrido no dia 1 de junho, um mês que já é colorido por si só, deste ano (2019), o evento levou 150 pessoas até o espaço da Universidade, que foram acolhidas por 18 palestrantes, duas atrações musicais e um grupo empolgado de organizadores.

Em uma busca por trazer um momento de compartilhamento de histórias, ideias, transformação e inspiração, o TEDx contou, ainda, com a participação de parceiros preocupados com o consumo sustentável, que estiveram, de alguma forma, presentes nesse dia especial.

A estudante Raquel Nogueira, que cursa Engenharia de Gestão na UFABC, foi uma das organizadoras do evento e revelou para a nossa equipe um pouco mais dos bastidores da arrumação desse dia dedicado à inspiração.

Segundo ela, a experiência “trouxe pra mim muita responsabilidade, sabe? Não só sobre o meu trabalho dentro do TEDx, mas sobre o que eu faço pra construir um lugar melhor, sabe? Na sociedade.” Ou seja, houve muito trabalho para garantir um evento agradável.

E realmente foi um dia que exigiu muito desde o começo! Acompanhe essa trama e entenda como foi que o “TEDxUFABC: Colorindo Elefantes Brancos” surgiu e todas as transformações que ele promoveu.

O Nascimento do TEDxUFABC

A ideia nasceu dentro de um grupo de estudantes da UFABC, em uma dessas conversas casuais. O assunto TEDx surgiu em uma dessas discussões e, daí em diante, virou foco das pesquisas de quem estava na rodinha.

A Raquel era uma dessas pessoas, que se encheu de determinação e foi atrás de estudar bastante a respeito desses projetos. Em meio a essas pesquisas, o grupo de organizadores descobriu que o TED e o TEDx são coisas bem diferentes.

A diferença está no fato de o TED (Tecnologia, Entretenimento e Design) ser mais formal: tratando, em uma série conferências planejadas pela fundação Sapling, de assuntos mais universais, como o papel da mulher na sociedade ou a mudança que os jovens podem promover no mundo.

O outro, em contrapartida, é uma concessão dessa marca.

Com foco na cultura e nos problemas do local ao qual pertence, o TEDx traz temáticas e questões com soluções voltadas à população que reside no local onde o evento ocorrerá. Esse foi um dos pontos decisivos no momento de escolher o tema.

O bordão “Colorir Elefantes Brancos” vem da união de duas expressões: “tem um elefante na sala”, ou seja, um assunto evidente que está sendo ignorado, e “elefante branco”, usado para estruturas que acabam perdendo sua utilidade por falta de uso.

E, como colocado pelos organizadores do evento, “Histórias não contadas são como grandes elefantes brancos no meio da sala, algo de muito valor que é ignorado esperando para ser colorido e notado.” Ou seja, os assuntos e atividades importantes para os frequentadores da UFABC, mas que não tinham a merecida relevância.

Assim, com um tema em mãos e autorizados, pela empresa, a realizarem o evento, os organizadores seguiram as regras e procedimentos pré-estabelecidos para oferecer um evento “Padrão TED” para o seu público e colorir, de uma vez por todas, todos os elefantes brancos da Universidade.

Colorindo os Elefantes Brancos

Como você bem deve saber, existem elefantes brancos em todos os lugares. E a UFABC não era diferente! Existiam muitos assuntos intocados, apenas esperando para ganharem a atenção que mereciam.

E esse não foi um processo fácil. Depois de pedir indicações para muitas pessoas, a equipe de organizadores começou a conversar com os possíveis palestrantes e ver se eles estariam ou não disponíveis no dia.

A Raquel, nossa entrevistada, também falou um pouco sobre isso: “a gente pediu para fazer um vídeo contando sua história e tudo mais. E aí, a partir disso, a gente escolheu os que faziam mais sentido ‘pro’ evento.”

E quem fazia mais sentido? Aqueles que pudessem inspirar, tocar as pessoas através de histórias de suas vidas e fazer com que elas refletissem sobre aqueles temas. Algo que fizesse com que o TEDx deixasse de ser um evento apenas de palestras, mas de compartilhamento e evolução.

Ao todo, foram 18 palestrantes (que você pode conferir com detalhes no tedxufabc.com.br ou na página do evento), cada um com um tema diferente, mas que se alinhava totalmente com a proposta do evento: colorir os elefantes brancos com um charme único.

Dentre os grandes nomes do dia, nossa entrevistada destacou duas apresentações: a de Luis Mendes, um ex-aluno de origens humildes do curso de Engenharia de Gestão da UFABC, que conquistou espaço empreendendo. Descontente com as desigualdades sociais, ele desistiu de um “emprego promissor” para trabalhar na educação inclusiva de jovens de escolas públicas e comunidades.

O outro destaque foi Raial Orutu Puri, indígena do povo Puri, que se formou em Direito e Antropologia. Atuando em um distrito das populações nativas no Acre, faz assessoria jurídica voluntária para Federação do Povo Huni Kui do Acre (FEPHAC). Unindo sua relação pessoal com a luta indígena e pesquisa acadêmica sobre o assunto, tratou com impacto sobre a luta e a representatividade indígena.

Além de todo esse trabalho socio-cultural desenvolvido pelos palestrantes do evento, o TEDx ainda contou com um exterior planejado para colorir, com o verde da sustentabilidade, esses “elefantes brancos”.

Do Branco ao Verde

O grupo da Raquel, especialmente, foi o responsável por pensar toda a área externa do evento. Com o intuito de inspirar quem estivesse passando pelo espaço, a equipe entrou em contato com empresas relacionadas ao consumo sustentável para mergulhar os participantes em uma experiência de pura saúde ambiental.

Parcerias como a com a empresa de mães Ideia Crua, que produziu as ecobags utilizadas para transportar os brindes do evento, e com a B.live, que forneceu os canudos reutilizáveis distribuídos no dia, possibilitaram um evento mais sustentável.

Outra dessas uniões foi com a Silicup, empresa que produz, em silicone, copos e garrafas reutilizáveis. A franquia contribuiu com 150 desses copos que, devido a uma tecnologia retrátil, podem ser carregados para qualquer lugar.

Silicup no TEDxUFABC
Participação da Silicup: Rafael Kissel, à direita, e Anderson Luiz Gasparin, à esquerda, fundadores da empresa. – Foto: Levi Silva Munhoz Pereira

Os fundadores da companhia, Rafael Kissel e Anderson Luiz Gasparin, participaram ativamente do TEDx, entregando os Silicups para os ouvintes do evento e falando um pouco mais a respeito de como o consumo de copos descartáveis tem grande impacto ambiental.

Eles ainda foram responsáveis por certificar o evento, reconhecido por reduzir o número de copos plásticos utilizados pelos participantes. Nesse certificado constava a quantia média de descartáveis que seriam economizados com o uso das versões duráveis, além da afirmação do compromisso do TEDx com o meio ambiente.

Ainda houve a presença de restaurantes veganos, como o Panela Alternativa. Essa presença se deve a uma vontade de quebrar os tabus existentes sobre a culinária vegana e promover uma alimentação consciente e saudável.