Você precisa mesmo de todo esse plástico?

Julho Sem Plástico: você precisa mesmo de todo esse plástico?

O desafio Julho Sem Plástico promoveu uma reflexão sobre quanto plástico você usa e se realmente precisa disso tudo. Confira todas as propostas da campanha e as mudanças que ela provocou.

Você já parou para olhar quanto plástico há ao seu redor? Sacolas, garrafas, copos, potes, frascos, pacotes, cotonetes, talheres, escovas de dentes, barbeadores e até absorventes… Nós estamos constantemente cercados de algo feito desse material.

Esse problema é que esse produto, além de surgir de um recurso não renovável, demora muito tempo para se decompôr, deixando inúmeras micropartículas no processo. Utilizado em larga escala e, até, incinerado, pode ser encontrado em quase todos os lugares do planeta terra, segundo estudos, inclusive no alto dos Pirineus.

O ideal, portanto, seria reciclar esse plástico – o que também não acontece. Segundo dados do Fundo Mundial para a Natureza (WWF), disponibilizados no início deste ano, o Brasil é o quarto maior produtor de lixo plástico do mundo, o que equivale a 11,3 milhões de toneladas.

Apesar de grande parte desse total (10,3 milhões de toneladas) ser coletada, míseras 145 mil dessas toneladas são recicladas. Isso equivale a 1,28% de toda a produção, sendo menor até do que a média nacional, que é de apenas 9%.

É por causa do choque frente a toda essa poluição que surge o desafio Julho Sem Plástico. Nascido na Austrália, em 2011 e com o nome de Plastic Free July, a campanha foi fundada por Rebecca Prince-Ruiz e se espalhou por todo o mundo através de pessoas preocupadas com sua pegada ecológica nas redes sociais.

Pensando na redução da quantidade de plástico, nós da Silicup também participamos e ajudamos a espalhar essa hashtag através de nossas redes sociais. Entenda como funcionou e o que foi feito para aderir ao desafio não só durante o mês de julho, mas além dele.

Quem aderiu?

Muitas pessoas e empresas do Brasil mesmo aderiram a esse desafio ou colaboraram com ele de alguma maneira. Inspirados por todos os problemas causados pelo plástico e seu consumo mais excessivo e destrutivo, aderiram total ou parcialmente às propostas da hashtag.

A cantora e compositora, Adriana Calcanhotto, por exemplo, trabalhou muito para desenvolver uma campanha contra o plástico. Junto do lançamento de seu álbum “Margem”, em junho de 2019, a cantora de “Fico Assim Sem Você” inaugurou uma ação de marketing junto do Projeto Route Brasil.

Esse ato se consistiu em uma limpeza nas praias do Rio de Janeiro, mas com um diferencial: cada play autenticado do seu single “Dessa Vez” em alguma plataforma de streaming representaria mais um lixo plástico recolhido durante essa faxina, que aconteceu no dia primeiro de julho.

O mês se seguiu com outras ações, inclusive, de canais de comunicação. Esse foi o caso da jornalista Luciana Bugni, do Canal Universa (pertencente ao site UOL), que contou em uma reportagem cheia de detalhes e genialidades sobre como foi passar 30 dias sem consumir nada – ou quase nada – que viesse em uma embalagem de plástico.

A KAKOI, agência curitibana de marketing digital, também aderiu ao desafio. A equipe fez, no começo de julho, um pacto para que nenhum lixo plástico descartável fosse produzido dentro do escritório até o final do mês. Os resultados você pode conferir nas redes sociais da empresa.

A equipe da Silicup também aderiu! Passamos 30 dias fazendo de tudo para não consumir produtos que gerassem descartáveis que viessem a poluir ainda mais o Planeta Terra. Junto disso, também divulgamos, em nossas redes sociais, dicas para que mais pessoas aderissem a esse projeto e reduzissem seu impacto no meio ambiente.

Um dos maiores aliados nessa jornada foi o nosso copo de silicone, que foi adquirido por muitas empresas que estão dispostas a mudar o seu processo de produção e melhorar as perspectivas de vivência do ser humano nesse pequeno planeta azul.

Estão entre elas Coca Cola, FYI Rock in Rio, Hotel Gran Riot, Refresh Way, É de Casa (Rede Globo), Corteva, Grupo Tellus, Universidade Franciscana Engenharias, ATEAC, Hotel Red Radsson e Life Sul Técnologia Médica, que, só no mês de julho, deixaram de consumir 345.000 copos plásticos – que, provavelmente, acabariam nos oceanos.

Você também pode aderir a esse movimento, só precisa repensar algumas de suas práticas!

Como aderir?

Save The Ocean

A proposta parece simples: é só parar de usar plástico. O problema é que não é bem assim.

Muitas das coisa que usamos no nosso dia a dia, apesar de não nos chamarem a atenção, vêm em embalagens de plástico ou que usam uma mistura de materiais plásticos, que não notamos em um primeiro momento.

O ponto é que, quando começamos a nos preocupar com esse derivado do petróleo, passamos a perceber como essa quantia de descartáveis que usamos diariamente é muito absurda, ao mesmo tempo em que existem soluções sustentáveis e econômicas a longo prazo.

Nós demos, em nossas redes sociais, algumas sugestões para substituir o plástico durante o desafio. Aqui vão alguns destaques:

  • Use sacolas reutilizáveis: os sacos plásticos têm um tempo de uso muito curto, especialmente se comparado ao tamanho de seu dano ambiental. Para resolver isso, você pode utilizar sacolas reutilizáveis, que respeitam o meio ambiente.
  • Abuse do bicarbonato: a maior parte dos produtos de limpeza vêm em embalagens de plástico que são descartadas após o uso. Ao invés de fazer essas compras, invista no bicarbonato de sódio – um sal que, quando misturado com água quente, limpa de tudo, mas com um impacto ambiental muito menor.
  • Dispense o canudinho: essa já é uma dica antiga e que até virou lei em muitas cidades por todo o mundo. O fato é que, muitas vezes, o canudo é totalmente dispensável – o que não impede que ele acabe com a vida de muitos animais. Assim, você pode e deve dispensá-lo. Mas, se realmente precisar, adquira um substituto reutilizável.
  • Coma menos plástico: muitas vezes, quando compramos comida, recebemos uma montoeira desnecessária de plástico, que é usado uma única vez antes do descarte. Assim, para que o planeta não tenha que digerir todo esse material, prefira dispensar esses objetos e levar os seus talheres ou, até, a sua própria comida aos locais.
  • Mude seus produtos menstruais: grande parte dos produtos menstruais são feitos de plástico e demoram bastante tempo para se decompôr. Em vez disso, você pode optar por absorventes de algodão orgânico, que podem ser compostados, ou, ainda, para os reutilizáveis, ​​como almofadas ​​e copos menstruais.
  • Escove os dentes com bambu: as escovas de dentes são, muitas vezes, feitas de plástico. Como elas também têm uma curta vida útil, você pode substituí-las por opções mais ecológicas, que se degradem ao serem descartadas. Uma ótima opção é a escova de bambu, que é cultivado organicamente, reduzindo ainda mais o impacto ambiental.
  • Repense o jeito que você lava a louça: as esponjas que usamos no banho ou para lavar a louça também são feitas com um componente plástico. Mesmo que durem mais tempo, o ideal é substituí-las pelas buchas vegetais, que são mais ou menos a mesma coisa, com a diferença de que se decompõem naturalmente.
  • Adote um Silicup: se você gosta de tomar um cafezinho para se manter acordado, ou mesmo se você prefere um chá, sabe que essas bebidas são acompanhadas de um copo descartável. Para diminuir esse impacto ambiental, adquirir um Silicup é uma ótima ideia: você pode levá-lo para qualquer lugar e beber o que quiser.

Você ainda pode participar do mês da sustentabilidade, que acontece neste mês de agosto. Vamos compartilhar conteúdos sobre o assunto em nossas redes sociais. Caso tenha interesse no assunto, nos acompanhe no Instagram (@sili.cup) ou no Facebook.

Além disso, a Silicup também é uma empresa sustentável! Além de usar um material durável e reciclável, temos a prática de participar de eventos que promovam o bem estar ambiental! Caso queira entender quem somos e quais os nossos produtos, confira o nosso site Silicup.