Como levar uma vida mais sustentável: 6 perguntas pra se fazer e começar hoje!

Existem inúmeras coisas que você pode fazer para levar uma vida mais sustentável! Para algumas pessoas e talvez para você, várias dessas coisas parecem inalcançáveis. Mas por que? Conforto é a palavra determinante, que justifica o porquê de tomarmos decisões não sustentáveis em nossos hábitos de consumo e na nossa relação com o meio ambiente. Quando pensamos na necessidade de mudar a nossa rotina, o desconforto associado a essa mudança já desperta ansiedade e medo, mas é principalmente na hora de tomar uma decisão que nos apegamos aos costumes e às facilidades que sempre tivemos acesso.

Ao fazer compras, por exemplo, o que diferencia uma pessoa consciente pode estar na decisão de não usar sacolas, certo? Independente da forma como ela resolve esse problema, ela precisou pensar até tomar essa decisão e se desapegar de um costume já implícito em nossa sociedade. Não precisamos falar muito, em nosso artigo Sustentabilidade: Um Caminho Sem Volta contamos um pouco mais sobre a situação atual que vivemos em relação a poluição, desperdício e consumo irresponsável. Nossos oceanos correm um enorme perigo e estima-se que, até 2050, haja mais plástico do que peixes em nossos mares. A verdade é que a situação já é alarmante e se quisermos um planeta Terra próspero precisamos prestar atenção nisso hoje.

Se você quer fazer parte da mudança, o primeiro passo é não se apegar, comece hoje fazendo o que você pode fazer. Para te ajudar, vamos falar sobre algumas formas de se levar uma vida mais sustentável, começando pelo básico.

Pense no seu dia a dia e nos seus hábitos de consumo. Que tipos de lixo eu produzo? Eu poderia evitar de gerar algum lixo hoje em minha casa? O que eu faço com o lixo que produzo? Respondendo a essas perguntas já fica mais fácil saber quais devem ser as sua prioridades. Por que? Vamos lá:

Que tipos de lixo produzo em casa?

Cada brasileiro produz em média 1kg de lixo por dia, seja seco ou úmido, reciclável ou não. Mais ou menos, 50% desse lixo é orgânico (restos de comida, cascas de frutas e verduras, etc…) e 30% é reciclável (papéis e plásticos secos, alumínio, vidro etc…) o resto normalmente é de rejeitos (guardanapos usados, materiais não recicláveis, etc…). A verdade é que, inevitavelmente, seus hábitos de consumo vão gerar algum tipo de lixo e a principal diferença está em como você o destina.

Quais tipo de lixo posso evitar de gerar?

Antes de responder a essa pergunta, pense bem sobre suas últimas compras e elenque quais itens possuíam embalagens, sacos plásticos ou partes que inevitavelmente se tornariam lixo. Algum desses itens também pode ser encontrado à venda sem a embalagem?

Se sua resposta for sim, comece descartando esses itens da sua rotina de consumo, passe a optar pelas alternativas que não possuem embalagem ou são embaladas com materiais sustentáveis, como papel reciclado e outras fibras. O segredo é recusar ao máximo os possíveis lixos presentes em vários itens do nosso dia a dia. No começo podem ser as sacolas de supermercado, em breve embalagens plásticas de comida e, posteriormente, qualquer outro item que considerar duvidoso.

Como reaproveitar itens descartáveis?

Se pra você ter uma vida mais sustentável ainda é algo recente, é provável que alguns de seus hábitos ainda envolvam itens não sustentáveis. Como assim? Usar canudinhos plásticos, por exemplo, nem sempre foi algo alarmante, mas agora você já deve ter ouvido como eles são prejudiciais para a vida marinha de nosso planeta, não é mesmo? Mesmo assim, milhares ainda são fabricados diariamente, várias pessoas os usam em seu dia a dia e talvez você seja uma dessas pessoas. A mesma lógica se aplica ao uso de sacolas plásticas, ou copos descartáveis, ou água engarrafada em plástico, são milhares de possibilidades.

Já ficou claro que todas essas coisas ainda estão em nosso dia a dia, certo? Então o que você pode fazer pra mudar algo? Uma opção é reaproveitar: guarde embalagens plástica, sacolas, tudo que puder ser reutilizado e os use até que não tenham mais utilidade para, somente então, descartá-las para reciclagem. O segredo é sempre recusar, mas quando não se tem escolha, lembre-se de destinar corretamente os lixos que foram gerados.

O que fazer com o lixo orgânico?

A solução mais simples e direta está na compostagem. Trata-se de um processo de reaproveitamento do lixo orgânico e sua transformação em adubo e terra para cultivo de outros orgânicos. Hoje já é possível fazer isso em casa em pequenas proporções, apenas com os restos gerados a partir do seu consumo. Já pensou que incrível? Além de não precisar jogar mais lixo orgânico no meio ambiente (que produz o gás metano) ainda é possível reaproveitar a terra e o adubo para ter sua própria horta em casa.

Como separar o lixo reciclável?

A Política Nacional de Resíduos Sólidos (Lei 12.305/10), estabelece que as prefeituras dos municípios brasileiros devem disponibilizar à população um sistema de coleta seletiva. Sendo assim, se sua cidade ainda não possui um sistema de coleta seletivo, cobre sua prefeitura. Na principais metrópoles do país esse sistema já funciona, portanto basta separar seu lixo reciclável e destiná-lo corretamente. Para conhecer os principais itens recicláveis que você pode gerar, esse artigo do blog Pensamento Verde conta tudo com detalhes. Apenas lembre-se de separar e secar todos os itens recicláveis antes de destiná-los

E os outros resíduos como óleos e baterias?

Em algumas cidades existem pontos de coleta específicos para resíduos que exigem um tratamento especial, como os óleos e as baterias. Se esse for o caso da sua cidade, faça questão de destiná-los a esses pontos. Você pode consultar os pontos de coleta na sua cidade clicando aqui. Esse tipo de resíduo, quando mal direcionado, pode causar danos irreversíveis ao meio ambiente, portanto preste atenção.

Na prática, precisamos estar atentos em duas coisas: recusar ao máximo e destinar corretamente. Se você conseguir cumprir com isso, você já está pensando em 80% dos problemas, a partir daí, vai do seu comprometimento com a causa e o que você quer para o futuro do nosso planeta. Já tem muita gente fazendo a diferença, mas ainda falta bastante para vermos mudanças expressivas no destino da nossa natureza. Faça sua parte e espalhe essa mensagem! Juntos fazemos a diferença.

Curta nossa página no Facebook